SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua

China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua


Fonte: DCI (13 de setembro de 2019 )
FOTO: ALY SONG / REUTERS

A China excluirá alguns produtos agrícolas dos Estados Unidos de tarifas adicionais, informou nesta sexta-feira a agência oficial de notícias da China, a Xinhua, no mais recente sinal de atenuação das tensões sino-americanas antes de uma nova rodada de negociações com o objetivo de conter uma guerra comercial.

 

Washington e Pequim fizeram gestos conciliatórios. A China renovou compras de produtos agrícolas dos EUA e o presidente dos EUA, Donald Trump, adiou aumento de tarifas sobre certos produtos chineses.

 

A China havia criado tarifas adicionais de 25% aos produtos agrícolas dos EUA, incluindo soja e carne de porco, em julho de 2018. Em 1º de setembro, o país aumentou as tarifas para soja em mais 5% e, para carne de porco, em mais 10%.

 

“A China apoia empresas relevantes que compram hoje determinadas quantidades de soja, suínos e outros produtos agrícolas de acordo com os princípios do mercado e as regras da OMC”, disse a Xinhua, acrescentando que a Comissão de Tarifas Aduaneiras do Conselho de Estado da China excluiria tarifas adicionais sobre esses itens.

 

A China tem “amplas perspectivas” de importar produtos agrícolas dos EUA de alta qualidade, informou a Xinhua, citando autoridades não identificadas.

 

Um surto de peste suína africana reduziu em um terço o rebanho de suínos da China desde meados de 2018, levou os preços da carne de porco no país a níveis recordes e deixou a China em necessidade de suprimentos de reposição do exterior.

Também é esperado que a China intensifique as compras de soja, historicamente a exportação agrícola mais valiosa dos EUA. O país asiático evitou compras de soja norte-americana desde que a guerra comercial começou no ano passado.

 

Antes do anúncio de isenções para tarifas adicionais, as empresas chinesas compraram pelo menos 10 carregamentos de soja nos EUA na quinta-feira, as compras mais significativas do país desde junho.

 

“Espera-se que os EUA cumpram suas palavras e cumpram a promessa de criar condições favoráveis à cooperação nas áreas agrícolas entre os dois países”, afirmou a Xinhua.

 

Autoridades dos EUA e da China devem se reunir na próxima semana em Washington antes das negociações entre os principais negociadores comerciais no início de outubro.

 

O presidente Donald Trump disse na quinta-feira que prefere um acordo comercial abrangente com a China, mas não descarta a possibilidade de um pacto provisório.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais