SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   O papel da Copersucar na trajetória do RenovaBio

O papel da Copersucar na trajetória do RenovaBio


Fonte: Copersucar (21 de maio de 2020 )
Copersucar participou ativamente para a certificação das usinas associadas no programa RenovaBio. Foto: Ricardo Teles

Quando foi instituída a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), em 2017, a Copersucar montou um grupo técnico, formado pelas áreas Fiscal, Sustentabilidade, Jurídico e Relações Institucionais, a fim de entender a nova legislação, saber como ela se aplicava ao negócio da companhia e orientar suas usinas associadas produtoras de etanol.

 

“Trabalhamos junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis [ANP] para explicar as particularidades do nosso modelo de negócios, que não estava contemplado no formato idealizado inicialmente para a comercialização de Créditos de Descarbonização, os CBios”, relata a especialista em Sustentabilidade e Meio Ambiente da companhia, Maria Cláudia Trabulsi.

 

Com esse trabalho, os produtores de biocombustível associados a cooperativas foram incluídos no Artigo 5º, Capítulo II, da Resolução ANP nº 802, de 2019, que trata dos procedimentos para geração de lastro necessário para emissão primária de CBios. Lastro é o conjunto de informações necessárias para garantir a validade do crédito de descarbonização. A partir dessa alteração, ficou determinado que seriam admitidas as notas fiscais de venda emitidas pela cooperativa, que reúne o volume total comercializado por cada usina cooperada.

 

Segundo Trabulsi, a Copersucar deu suporte às usinas associadas no processo de certificação. “Promovemos reuniões semanais, para esclarecer as regras, e treinamentos de capacitação, para que se adequassem ao programa e conseguissem se certificar”, diz Trabulsi.

 

Na visão do agrônomo Manoel de Andrade, que atua na Usina São Luiz, em Ourinhos (SP), “a comunicação e parceria com a área de Sustentabilidade da Copersucar ajudou muito. Tudo que a ANP editava era passado para nós nas reuniões”.

 

O gerente de Recursos Humanos, Meio Ambiente e Qualidade da Usina Ferrari, de Porto Ferreira (SP), Claudemir Fogues, também avalia que o apoio foi importante no processo de certificação. “A empresa centralizava as opiniões e sugestões das associadas e nos dava um direcionamento”, conta Fogues. “Certamente, contribuiu muito para termos conseguido a certificação. Conseguimos nos tornar mais sustentáveis e ter retorno financeiro, além dos ganhos ambientais.”

 

Usinas certificadas
Hoje, 27 usinas associadas já estão certificadas e as demais estão em processo de certificação. Todas elas estão emitindo CBios, que já são escriturados pelo Banco Santander e estão disponíveis para comercialização no mercado financeiro.

 

“Semanalmente, a ANP tem publicado novas certificações de usinas. Como as associadas à Copersucar entraram em consulta pública em prazos diferentes, temos expectativa de que todas estejam certificadas até o fim de maio”, afirma o gerente de Sustentabilidade da SGS, Fabian Peres Gonçalves. A empresa é credenciada para trabalhar como inspetora no processo de certificação.


Mais lidas


View this post on Instagram #SPAnaPrevençãoAoCoronavírus A SPA recebeu hoje (28/04) 8 mil litros de álcool em gel, doados pela Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) e pela Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) para auxiliar o Porto de Santos no combate à pandemia pelo novo coronavírus. A ação contou com intermediação do […]

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais

No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais