SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Vigiagro intercepta 30 cargas com a presença de pragas ou doenças no Porto de Santos

Vigiagro intercepta 30 cargas com a presença de pragas ou doenças no Porto de Santos


Fonte: G1 Santos e Região (12 de fevereiro de 2020 )
Equipes da Vigiagro fazem a inspeção de frutas no posto em Santos — Foto: Vigiagro

 

A Vigilância do Trânsito Agropecuário Internacional (Vigiagro) no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, impediu a entrada de mais de 2.100 toneladas de cargas irregulares em 2019. Os dados foram obtidos após um levantamento solicitado pelo G1. Essas mercadorias apresentavam riscos ao ingressarem no território nacional e não atendiam a legislação vigente.

 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento é responsável por promover a defesa agropecuária, impedindo a entrada de pragas e doenças exóticas no país e que podem afetar a produção nacional. Ele tem papel importante no controle de alimentos que chegam à mesa do consumidor. Outra linha de ação é o controle dos insumos agropecuários que abastecem a agricultura e pecuária, além da certificação das exportações brasileiras.

 

Segundo o levantamento do Vigiagro, em 2019, foram interceptadas 30 cargas com a presença de pragas ou doenças que não existem no Brasil e que tem potencial de causar dano econômico na produção nacional caso introduzidas no Brasil.

 

Equipes da Vigiagro fazem a inspeção de pescados no posto em Santos — Foto: Vigiagro

 

Entre os produtos controlados e que tiveram seu ingresso proibido no Porto de Santos em 2019 estão:

 

  • Cargas de maçãs e peras, paletes de madeira e mel importado com presença de pragas exóticas.
  • Amêndoas e castanhas com excesso de micotoxinas (substâncias químicas tóxicas produzidas por fungos) mediante análise laboratorial. O excesso de algumas toxinas em alimentos representa risco ao consumidor, devido a seu potencial carcinogênico.
  • Alhos abaixo do padrão mínimo de qualidade.
  • Bebidas importadas, como sucos e vinhos, que não atenderam os padrões nacionais. Algumas cargas declaradas como refresco não continham os níveis mínimos de suco de frutas exigidos em legislação.
  • Peixes com relação de umidade e proteína fora dos padrões, que indica a adição de água acima do permitido.
  • Lulas com excesso de sódio na composição.
  • Bacalhau com presença de Salmonella.

 

Equipes da Vigiagro fazem a coleta de pescados — Foto: Vigiagro

 

A verificação de possíveis fraudes por adição de água nos alimentos, análise de DNA para identificação da espécie de pescado e avaliação do perfil microbiológico dos produtos são alguns exemplos das atividades de rotina desenvolvidas na unidade do Vigiagro em Santos.

 

Segundo o engenheiro agrônomo e o auditor fiscal federal agropecuário André Okubo, além de promover a defesa da produção agropecuária nacional, as ações do órgão protegem o consumidor final que dificilmente encontraria problemas nos alimentos.

 

Boa parte dos problemas e fraudes verificadas pelo Ministério da Agricultura, como adição de água ou troca de espécies em peixes, bebidas fora do padrão, fraudes no azeite de oliva, presença de toxinas em castanhas e frutas secas, presença de contaminantes microbiológicos como a salmonella e de substâncias proibidas, dificilmente seriam identificados diretamente pelo consumidor. Muitas vezes o consumidor pode estar colocando em sua mesa alimentos com uma série de problemas sem imaginar. É isso que buscamos evitar”, disse.

 

Ainda segundo o Vigiagro, as cargas que foram barradas no Porto de Santos são rechaçadas ao exterior ou destruídas em território nacional.

 

Carga de frutas são inspecionadas pela equipe da Vigiagro em Santos — Foto: Vigiagro

Mais lidas


A Santos Port Authority (SPA) elaborou uma campanha para esclarecer e difundir os principais cuidados para se proteger do novo coronavírus (2019 nCoV). Não há casos suspeitos no Porto de Santos, mas a SPA está adotando as ações preventivas necessárias em apoio à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais

No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais