SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Mercado   /   Dólar opera em alta após novo recorde na véspera

Dólar opera em alta após novo recorde na véspera


Fonte: G1 ECONOMIA (12 de fevereiro de 2020 )
No mês, dólar acumula alta de 1,5% — Foto: pasja1000/Creative Commons

 

O dólar fechou em alta nesta quarta-feira (12) e bateu o quarto recorde consecutivo em relação ao real, diante da divulgação de dados decepcionantes do varejo brasileiro e do maior otimismo quanto à contenção da epidemia do coronavírus na China.

 

A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 4,3505, em alta de 0,55%. Na máxima da sessão, chegou a R$ 4,3535, também o maior valor nominal (ou seja, sem considerar a inflação) já alcançado durante as negociações. Veja mais cotações. No mês, o dólar acumula valorização de 1,53% e, no ano, de 8,5%.

 

Já o dólar turismo, vendido nas casas de câmbio, fechou a R$ 4,54 sem acréscimo do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

 

Na terça, a moeda encerrou a sessão vendida a R$ 4,3269, em alta de 0,10%.

 

 

 

 

Dados do comércio decepcionam

As vendas no varejo recuaram 0,1% em dezembro na comparação com o mês anterior e subiram 2,6% sobre um ano antes, de acordo com dados do IBGE, em resultado abaixo do esperado em pesquisa da Reuters. No acumulado em 2019, o comércio registrou alta de 1,8%, mas mostrou perda de força em relação aos 2 anos anteriores.

 

“Investidores receberam há pouco decepcionantes dados de vendas no varejo de dezembro”, disse em nota a corretora Commcor, citando “reações isoladamente negativas ao real, que segue sofrendo com baixos juros e desanimadores dados de atividade”.

 

No exterior, a China registrou nesta quarta-feira o menor número de novos casos de coronavírus desde janeiro, o que fortalece uma previsão do principal assessor médico do país de que o surto terminará até abril.

 

“O mercado está relativamente confiante de que a China será capaz de controlar o vírus, embora possa levar algum tempo”, afirmou à Reuters Steve Englander, chefe de pesquisa global do G10 FX na Standard Chartered, em Nova York. “O fato de que o coronavírus não parece tão letal fora da China é algo que está confortando os mercados.”

 

Na terça-feira, o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) Jerome Powell disse ao Congresso que a economia do país norte-americano estava em um lugar favorável, mesmo citando a ameaça potencial do coronavírus na China e algumas outras preocupações de longo prazo.

 

“Os dados econômicos norte-americanos ainda estão superiores a outras economias e a diferença de crescimento com o resto do mundo continua substancial”, afirmou à Reuters Ugo Lancioni, gerente de portfólio do Neuberger Berman Macro Opportunities FX Fund.

 

Ainda na terça, a ata da última reunião de política monetária do Banco Central indicou divergência entre os membros Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a ociosidade na economia. O documento apontou que, diante de “múltiplas incertezas”, o comitê quer ter melhor compreensão do cenário para definir os próximos passos da taxa Selic. No comunicado da semana passada, o Copom havia indicado que interromperia o ciclo de corte de juros.

 

A redução sucessiva da Selic diminuiu o diferencial de juros entre Brasil e outros pares emergentes, o que pode tornar o investimento no país menos atrativo para estrangeiros e gerar um fluxo de saída de dólar, o que elevaria a cotação da moeda.

 

 


Mais lidas


A Santos Port Authority (SPA) elaborou uma campanha para esclarecer e difundir os principais cuidados para se proteger do novo coronavírus (2019 nCoV). Não há casos suspeitos no Porto de Santos, mas a SPA está adotando as ações preventivas necessárias em apoio à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  

Leia Mais

  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais

No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais