SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Emirados compraram 22% mais café do Brasil em 2019

Emirados compraram 22% mais café do Brasil em 2019


Fonte: ANBA (16 de janeiro de 2020 )
Foto: Bruna Garcia/ANBA

São Paulo – Os Emirados Árabes Unidos figuram entre os países que tiveram maior crescimento nas compras de café brasileiro em 2019, com alta de 21,8% em volume sobre 2018, somando 139.426 sacas. Os países árabes como bloco também apresentaram alta no volume importado. Foram 1.780.459 sacas de 60 kg, crescimento de 4,9% em relação a 2018.

 

Em receita, a variação relativa aos países árabes foi para baixo, em 10,65%, para US$ 205,4 milhões em 2019. A participação dos países árabes nas exportações de café brasileiro ficou em 4,4% ano passado. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira (15) pelo Conselho de Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), em São Paulo.

 

De acordo com o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, o mercado árabe é muito importante para o Brasil. “São grandes parceiros, nós conseguimos fornecer uma qualidade de café que é muito apreciada por eles, então nós observamos todo esse mercado árabe de uma maneira muito simpática e muito parceira do Brasil”, disse ele à ANBA. O executivo estima que os embarques aos árabes vão chegar aos 2 milhões de sacas em 2020.

 

O diretor-geral da instituição, Marcos Matos, acrescentou que o Cecafé irá participar pela primeira vez da Gulfood, a maior feira de alimentos e bebidas do Oriente Médio, que vai ocorrer em Dubai, nos Emirados, de 16 a 20 de fevereiro.

 

“É importante lembrar que a ministra [da Agricultura] Tereza Cristina esteve nos Emirados no ano passado e tem mais uma visita para lá esse ano, e a quantidade de novos negócios é muito impressionante: alfafa, carne e o valor do café. A nossa tendência é de crescimento em função dessa proximidade, não só com os Emirados, mas com os países árabes visitados”, disse Matos. Cristina esteve também no Egito, Arábia Saudita e Kuwait.

 

“É impressionante o trabalho que está sendo feito também pelo ministério das Relações Exteriores; este ano e nos próximos anos nós vamos estreitar cada vez mais a parceria com esses países consumidores”, acrescentou Carvalhaes.

 

Entre os países árabes, o maior comprador é o Líbano, que no ano passado comprou 395.081 sacas, uma queda de 24,46% em relação ao período anterior; os outros principais mercados da região registraram crescimento. A Síria aparece em seguida com 363.019 sacas, alta de 18,8% no mesmo comparativo; Jordânia vem em terceiro com 256.902 sacas, crescendo 15,75%; na quarta posição, a Tunísia comprou mais 7,09%, com 183.986 sacas em 2019; em quinto, a Arábia Saudita teve alta de 13,25%, com 151.998 sacas. Os Emirados aparecem na sexta posição.

 

Total

O Brasil exportou no total 40,6 milhões de sacas de café em 2019, batendo recorde histórico, segundo o Cecafé. O crescimento em volume foi de 13,9% sobre 2018. A receita de US$ 5,1 bilhões, porém, representou queda de 1,1% no mesmo comparativo. O preço médio da saca também 13,2%, para US$ 125,49.

 

As quedas na receita se devem, segundo Carvalhaes, à alta do dólar. “Ficamos com os preços menores até novembro, as vendas para novembro e dezembro já estavam praticamente encerradas e isso propiciou essa receita menor. Nossa expectativa para esse ano é aumentar em receita e volume”, afirmou.

 

O País mantém sua posição de liderança mundial na produção e exportação de café, e em 2019 vendeu para 128 países. “É importante salientar que o País está preparado para atender a demanda global crescente com grande possibilidade de crescimento nos próximos anos; representamos hoje quase 40% de todo o café consumido no mundo”, disse Carvalhaes.

 

Os principais destinos de 2019 foram Estados Unidos, Alemanha, Itália, Japão, Bélgica, Turquia, Rússia, México, Reino Unido e Canadá. O México teve destaque com crescimento de 200,85%, para 951.042 sacas.

 

Entre os países que se destacaram com crescimento acima de 20%, além dos Emirados Árabes, estão África do Sul, Equador, Mianmar, Polônia, Montenegro, Espanha e Ucrânia.

 

O porto de Santos se manteve na liderança como a principal via de escoamento da safra para outros países, com participação de 78%. Foram 31,7 milhões de sacas embarcadas ano passado.

 

Dezembro

No último mês de 2019, foram embarcadas 2,99 milhões de sacas de café, com receita de US$ 384,2 milhões e preço médio de US$ 128,10.

 

Entre as variedades, destaque para o café robusta, que dobrou a exportação no mês registrando aumento de 102,6% em relação a dezembro de 2018, com 304.731 sacas.


Mais lidas


  O município de Balneário Barra do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, poderá ganhar um empreendimento portuário vinculado a um complexo empresarial e de serviços. O empreendimento projetado – por ora é só isso, uma intenção – é denominado “Super porto BBS”. Dizem os investidores potenciais que o negócio poderá ocupar área de […]

Leia Mais

No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais