SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Exportações da China caem em outubro menos do que o esperado

Exportações da China caem em outubro menos do que o esperado


Fonte: Jornal do Brasil (8 de novembro de 2019 )
Contêineres em porto de Ningbo, Zhejiang, na China (Foto: REUTERS/Stringer)

As exportações e importações da China contraíram menos do que o esperado em outubro, fornecendo algum alívio para a economia conforme o governo tenta alcançar um acordo comercial parcial com os Estados Unidos.

 

Mas mesmo que um acordo comercial seja assinado em breve, economistas dizem ser improvável que ele vá ajudar a alimentar as exportações e a indústria logo, e pode ainda significar que mais estímulo é necessário para evitar uma desaceleração mais intensa.

 

As exportações da China em outubro caíram pelo terceiro mês seguido, com um recuo de 0,9% sobre o ano anterior, mostraram dados da alfândega nesta sexta-feira, contra expectativa de contração de 3,9% em pesquisa da Reuters e após queda de 3,2% em setembro.

 

“Mesmo que a ‘fase um’ do acordo comercial entre EUA e China cruze a linha de chegada, é improvável que alivie os principais obstáculos para os exportações e os embarques devem permanecer fracos nos próximos meses”, disse Martin Rasmussen, economista da Capital Economics.

 

Houve outros números bons. As exportações para os EUA em outubro caíram 16,2%, menos do que a queda de 21,9% do mês anterior, de acordo com cálculos da Reuters baseados nos dados da alfândega.

 

As importações da China diminuíram pelo sexto mês consecutivo, embora a queda de 6,4% tenha sido menor do que o recuo esperado de 8,9% e o declínio de 8,5% em setembro.

 

Isso deixou a China com um superávit comercial de 42,81 bilhões de dólares em outubro, contra superávit de 39,65 bilhões em setembro. Analistas esperavam excedente de 40,83 bilhões de dólares.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais