SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Empresas do mundo lusófono se destacam na Exposição Internacional de Importação em Shanghai

Empresas do mundo lusófono se destacam na Exposição Internacional de Importação em Shanghai


Fonte: Comex do Brasil (7 de novembro de 2019 )

Shanghai – Empresas provenientes do mundo lusófono voltaram a se apresentar na Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, em inglês), cuja segunda edição começou nesta terça-feira em Shanghai, no leste do país.

 

Após a estreia na primeira edição do evento, o Brasil e Portugal voltaram a montar pavilhões institucionais este ano, apresentando seus produtos, serviços e culturas.

 

O Brasil, que foi homenageado na edição de 2018, preparou o que tem de melhor e mais abundante em sua indústria de alimentos e bebidas para conquistar o paladar do público chinês. Além de produtos para degustação, como pão de queijo, mel, espumantes e açaí, o estande nacional no evento mostra o potencial do setor agrícola para a atração de investimentos estrangeiros.

 

Sob responsabilidade da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o estande brasileiro exibe produtos de empresas como Goola Açaí, Ningbo Kasy e Minasul, os quais têm mais aderência e abertura no mercado chinês e que o Brasil tem condição de oferecer em grande escala, dado o imenso público consumidor do país asiático.

 

O Brasil participa da CIIE neste ano para fortalecer sua imagem como parceiro comercial. O país aposta na articulação institucional para obter sucesso nesta edição do evento, notadamente nos produtos oriundos do agronegócio. Neste ano, a atenção especial vai para o alimento pronto para consumo, tirando um pouco o foco da produção agrícola e priorizando a imagem dos produtos que têm um lugar à mesa. Por isso, o estande brasileiro vai sediar ações que possibilitem trabalhar com imagens os sentidos da visão e com degustações o paladar, além de oferecer palestras que ocorrerão durante todo o período da feira.

 

“Apostamos em conteúdo para que os chineses conheçam melhor o que o Brasil tem a oferecer e se aproximem dos nossos produtos. Já temos presença em diversos eventos no país, e estar na CIIE reafirma a importância do mercado chinês para o Brasil”, disse o gerente de Agronegócios da Apex-Brasil, Igor Brandão.

 

O pavilhão português, pavimentado com as típicas pedras portuguesas, apresenta os setores de automóveis, material de construção, vinho, alimentos, moda, joias e têxteis, além das indústrias culturais e criativas e estudos e pesquisa no país.

 

Exibindo toalhas e outros produtos, a empresa portuguesa Mundotêxtil participa pela primeira vez da exposição. Segundo James Zhu, gerente-geral da Shanghai Lan Yue Trading, a companhia portuguesa já começou a comercializar os produtos no mercado chinês em parceria com a sua empresa.

 

Quanto a Macau, uma delegação composta por mais de 100 empresários locais, organizada pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) marca presença na CIIE deste ano. Além da instalação de dois pavilhões, o IPIM vai também organizar um fórum para apresentar e promover as vantagens de Macau como plataforma de cooperação entre a China e os países de língua portuguesa através de formas interativas e diversificadas.

 

As empresas de Macau vêm dos setores como comércio, serviços financeiros, convenções e exposições, comércio eletrônico, ciência e tecnologia, alimentação, hotelaria, turismo, restaurantes, manufatura e serviços profissionais, entre outros.

 

Um pavilhão de Macau fica na Zona de Exposição de Produtos Alimentares e Agrícolas, e o outro, na Zona de Exposição de Comércio de Serviços. O primeiro tem 600 metros quadrados, 200 a mais do que no ano passado, e o segundo manteve os 60 metros quadrados.

 

A fabricante angolana de bebidas Sodiba quer ampliar sua presença no mercado chinês por meio da exposição, segundo o diretor de mercados internacionais Farid Bouhamara.

 

Durante o evento, será realizado também um fórum de investimento em diversos países africanos, incluindo Moçambique.

 

A CIIE, realizada pela primeira vez no ano passado, é a primeira exposição de nível nacional no mundo sobre importação. A edição deste ano vai até 10 de novembro e abrange uma área de 360 mil metros quadrados, com a participação de 3.893 empresas provenientes de 155 países e regiões, além de 26 organizações internacionais. Até o momento, 650 mil visitantes chineses e estrangeiros já fizeram o pré-registro, segundo os dados oficiais.

 

(*) Com informações Xinhua


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais