SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Empresa Portos do Paraná discute a integração de modais

Empresa Portos do Paraná discute a integração de modais


Fonte: Portos do Paraná (7 de novembro de 2019 )

Referência no modal hidroviário, a empresa pública Portos do Paraná participou do I Seminário Infraestrutura Paraná com duas palestras sobre o setor portuário, nesta quarta-feira (6), no auditório da Celepar, em Curitiba. Organizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Rede de Desenvolvimento de Pessoas do Paraná e Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o evento reúne representantes de todas as matrizes modais.

 

Segundo a organização, a ideia do encontro, que termina nesta quinta-feira (07), é promover o pensamento sistêmico sobre infraestrutura no Estado, considerando não apenas o que já existe, mas também projetos futuros, pensando pela integração entre os transportes rodoviário, ferroviário e o hidroviário.

 

Para o chefe do Departamento de Planejamento (Deplan) da empresa Portos do Paraná, Carlos Eidam de Assis, essa integração é necessária e a empresa pública tem discutido os problemas enfrentados e buscado soluções nas diversas áreas organizadas da sociedade. “É essencial a participação da Portos do Paraná num evento que discute a infraestrutura, haja vista o porto ser a área de escoamento para a exportação de boa parte da produção nacional”, destaca.

 

Como palestrante no Simpósio, sob o tema Simulação Computacional Aplicada ao Modal Hidroviário, Eidam destacou como a empresa está se preparando para o futuro. “Um dos exemplos é o repotenciamento do corredor de exportação, que é uma obra que não atende apenas os próximos cinco, dez anos, mas para poder atender as demandas futuras daqui a 40, 50 anos”, explica o chefe do Deplan.

 

MEIO AMBIENTE – Não basta apenas transportar, é preciso ser eficiente e ainda preservar o meio ambiente. “Temos programas ambientais, os monitoramentos, planos de atendimento de emergência, conforme as nossas licenças ambientais”, diz Rafal Cabreira, da Diretoria do Meio Ambiente, que palestrou sobre o Desafio Moderno para o Modal Hidroviário.

 

Ele acrescenta que isso, no entanto, atende às exigências de hoje. A partir do ano que vem, a Portos do Paraná terá mais alguns desafios. “Temos novas legislações, novos tratados internacionais que passam a ter vigência em 2020 e uma delas é sobre a questão da redução do óxido de enxofre no combustível do óleo do navio”.

 

A empresa também trabalhará com as comunidades no entorno da Baía de Paranaguá para que a atividade comercial ocorra com equilíbrio e em harmonia com a natureza.

 

ENGAJAMENTO – “Os diferentes tipos de transporte é algo crítico hoje no Brasil e a gente precisa ter essa troca de informação, experiências, pesquisas, projetos”, avalia o engenheiro civil e professor doutor Ricardo Mendes Junior, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), mediador dos debates. Na visão dele, esse tipo de encontro precisa ser permanente. “Até porque as demandas são dinâmicas e isso precisa ser um fórum permanente, também é um aprendizado”, aponta.

 

Ele destaca a participação da Portos do Paraná, que se apresentou a uma plateia formada por servidores de Instituições Públicas com a atuação direta ou indiretamente correlacionadas à infraestrutura e alunos acadêmicos de cursos ligados à área. “Dentro dessa integração modal, o porto talvez seja a parte mais importante porque é por onde escoa tudo no Paraná e não é um agente isolado”.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais