SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Maersk une forças com clientes do setor para desenvolver bunkers de baixa emissão

Maersk une forças com clientes do setor para desenvolver bunkers de baixa emissão


Fonte: Mundo Marítimo (6 de novembro de 2019 )

A Maersk com Wallenius Wilhelmsen, BMW Group, H&M Group, Levi Strauss & Co. e Marks & Spencer combinarão suas capacidades para explorar o uso do combustível LEO como bunker – uma mistura de lignina e etanol – que pode ser parte da solução futura para o transporte marítimo sustentável.

 

O transporte marítimo representa entre 2 e 3% das emissões globais de CO2, uma proporção que aumentará à medida que o comércio mundial continuar a crescer em um ritmo lento, mas constante. Como tal, este setor tem uma necessidade urgente de reduzir seu impacto ambiental.

 

O setor marítimo tem necessidades de combustível muito diferentes daquelas do setor automotivo ou da aviação. “O transporte marítimo exige soluções personalizadas de combustível de baixo carbono que podem dar o salto do laboratório para a frota global de transporte marítimo. Iniciativas como a Coalizão LEO são um catalisador importante nesse processo ” , explica Søren Toft, diretor de operações da Maersk

 

A lignina é um biopolímero estrutural que contribui para a rigidez das plantas. A lignina é isolada em grandes quantidades como subproduto do etanol holocelulósico e das fábricas de celulose e papel. Atualmente, muitas vezes é incinerado para produzir vapor e eletricidade.

 

“As ambições de nossos clientes em sustentabilidade estão aumentando rapidamente, e aplaudimos esse desenvolvimento. Claramente, a LEO seria um grande passo à frente para a sustentabilidade da cadeia de suprimentos e tem potencial para ser uma solução viável para a frota atual, e não apenas uma visão do futuro “, diz Craig Jasienski, CEO da Wallenius Wilhelmsen.

 

Empresas líderes em muitos setores estão explorando ativamente soluções para reduzir as emissões em toda a sua cadeia de valor, como parte do reconhecimento global da importância de atender de maneira sustentável a demanda global por bens, o que inclui amplamente o setor de transporte e logística.

 

De fato, a logística do transporte marítimo desempenha um papel importante nos processos de produção e distribuição dos veículos do Grupo BMW em todo o mundo. Como a empresa promove a sustentabilidade em toda a cadeia de valor, a participação no projeto LEO é um compromisso valioso.

 

Helena Helmersson, diretora de operações do H&M Group, afirma que “as mudanças climáticas são uma realidade constante e um desafio-chave para todas as indústrias, incluindo a moda. Estamos cientes de nossa responsabilidade de permanecer dentro dos limites planetários e estamos comprometidos em reduzir nosso impacto em todos os aspectos de nossa cadeia de valor, incluindo a maneira como nossos produtos são enviados aos consumidores em todo o mundo.Esta coalizão nos dá a oportunidade de explorar o desenvolvimento de um combustível de baixo carbono para o transporte marítimo atualmente ”

 

A Universidade de Copenhague está atualmente realizando o desenvolvimento em escala laboratorial desse depósito potencial. O objetivo do projeto é passar para a fase II – teste de combustível nos motores reais dos navios – no segundo trimestre de 2020. Após uma bem sucedida fase II, a fase III começará: o aumento da produção de combustível LEO.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais