SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   “Estamos transformando as provocações em ações”, diz ministro

“Estamos transformando as provocações em ações”, diz ministro


Fonte: Fórum Santos Export (5 de novembro de 2019 )

O Brasil vive um grande momento para o setor de portos, segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Momento em que a iniciativa privada ganha espaço, ao mesmo tempo em que o governo tenta resolver problemas de regulação e macroeconômicos que afetam o setor.

 

Segundo Freitas, o sucesso nos recentes leilões de concessão – só no setor portuário foram 13 terminais concedidos neste ano, todos com interessados – mostra o apetite das empresas por ativos no Brasil. Mostra também que os ativos estão “densamente estruturados” para serem repassados ao setor privado.

 

Ainda de acordo com o ministro, a pasta vem trabalhando para reduzir as incertezas no setor, inclusive com a regulamentação de normas, como o Decreto de Portos de 2017, o que vai dar mais segurança aos investimentos portuários.

 

Na cerimônia de abertura do Fórum Santos Export, o ministro afirmou que o governo também vai enfrentar outros problemas de ordem mais macroeconômica que afetam o setor, como a redução do risco cambial, do risco ambiental e uma menor taxação para os investimentos em infraestrutura.

 

Freitas lembrou ainda que é preciso protagonismo do setor privado para fazer com que os órgãos públicos se movimentem para solucionar os problemas em todos os setores, inclusive o portuário.

 

“Governo nenhum resolve problema. Governos agem por provocação, em qualquer lugar do mundo. Temos sido provocados pelo setor privado, e temos procurado transformar essas provocações em ações, em respostas”, disse o ministro.

 

O ministro também falou sobre o Porto de Santos, o maior da América Latina e que passa por uma reformulação administrativa.

 

“O Porto de Santos é e será por muito tempo o maior porto da América Latina. Estamos atentos às mudanças na logística do país para responder com inovações e seguir competitivos. Para cada movimento da logística que se volta para o Arco Norte, projeta-se uma melhoria, uma novidade para o Porto de Santos que fará com que ele continue importante”, afirmou.

 

Freitas lembrou que a nova gestão da Companhia Docas de São Paulo (Codesp), gestora do porto, está reposicionando a empresa para a inovação tecnológica e a integridade de ações, modernizando o porto para o que ele chamou de etapa 4.0 de desenvolvimento.

 

Após os elogios, o ministro mostrou sua posição sobre o já anunciado processo de desestatização da Codesp, lembrando que a pasta segue “fã” do modelo landlord – o atual formato de gestão do porto, em que a estatal aluga áreas para privados operarem, mas mantém o controle da gestão do porto.

 

“Mas [somos fãs] do landlord que funciona”, afirmou Freitas. “[Somos fãs] do modelo que traga eficiência e que proporcione a realização dos investimentos”, disse. ¨Estamos buscando no mundo o melhor modelo de desestatização para o Porto de Santos”. Para o ministro, o momento é oportuno para um processo de desestatização, já que o Brasil é “a bola da vez” para os investimentos internacionais.

 

A cerimônia de abertura teve ainda a presença do senador Wellington Fagundes (PL-MT), presidente da Frenlogi (Frente Parlamentar da Logística e Infraestrutura), do senador Lucas Barreto (PSD-AP) e do deputado Junior Bozzella (PSL-SP).

 

Bozzella anunciou que convocou audiência pública na Câmara dos Deputados para debater o processo de desestatização dos portos do país e que quer discutir com o governo a mudança no modelo de landlord que, segundo ele, é adotado em todo o mundo com sucesso. “Dá certo em outros países, não tem por a que não dar aqui”, afirmou o deputado.

 


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais