SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Ibama emite Licença de Operação do Porto de Aratu-Candeias

Ibama emite Licença de Operação do Porto de Aratu-Candeias


Fonte: CODEBA (12 de setembro de 2019 )

Neste mês de setembro, a Codeba recebeu do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Licença Ambiental de Operação para o Porto Organizado de Aratu-Candeias.

 

Conforme o chefe de serviço do Nasst, Thales Cardoso, o processo de licenciamento ambiental do Porto Organizado é obrigatório, público e essencial para o adequado desenvolvimento. Assim, a respectiva regularização também auxilia na transparência à sociedade dos avanços que estão sendo realizados pela Codeba e também do trabalho que está sendo realizado pelo órgão ambiental licenciador, em prol de um desenvolvimento consciente, ético e sustentável.

 

“Considerando toda a complexidade na operação do Porto, que foi inaugurado em 1975, muito anterior à maioria das legislações ambientais vigentes, a sua regularização ambiental teve início desde o ano de 2001 e, se consagra agora, após anos de tratativas com o órgão. Ao longo dos anos foram desenvolvidos estudos, planos e programas de cunho ambiental, submetidos à análise e aprovação do Ibama”, pontuou Thales.

 

“A conquista da Licença de Operação representa enorme avanço para a Companhia que, em consonância com sua Política Ambiental, vem buscando melhorias contínuas no seu desempenho ambiental. Com esse marco espera-se ainda maiores avanços com a execução dos planos e programas ambientais”, avaliou Tatiana Noel, analista do Nasst.

 

A Codeba que, em junho de 2018, recebeu também do Ibama a Licença de Operação para o Porto de Ilhéus, ainda está em processo de regularização ambiental para o Porto de Salvador.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais