SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Eventos   /   Atendimento psicológico gratuito tem maior procura no Setembro Amarelo em Santos

Atendimento psicológico gratuito tem maior procura no Setembro Amarelo em Santos


Fonte: A Tribuna (12 de setembro de 2019 )
Atendimento psicológico gratuito tem maior procura no Setembro Amarelo em Santos (Imagem Ilustrativa/Reprodução)

Cuidar da saúde mental, muitas vezes, acaba não sendo prioridade, em especial para quem acredita não ter condições de arcar com os custos de algum tipo de terapia, por exemplo. O mês de setembro traz luz à prevenção ao suicídio, de tal forma que lugares que oferecem atendimento gratuito passam a ser mais procurados nesta época.

 

É o caso do Centro de Valorização da Vida (CVV), órgão instituído há 57 anos que está disponível pelo telefone 188, com voluntários capacitados sempre disponíveis para conversar e ser um ‘ombro amigo’ a quem enfrenta problemas e, muitas vezes, não se sente confortável em desabafar com conhecidos. A ligação é anônima e gratuita.

 

CVV

O porta-voz do CVV na Baixada Santista, Renato Caetano de Jesus, conta que as ações realizadas durante o Setembro Amarelo neste ano têm como principal foco os jovens. “O suicídio já é a segunda maior causa de mortes no mundo”, preocupa-se.

 

Renato também explica que é importante entender que o suicídio não é uma doença. “É um ato trágico multifatorial, que envolve fatores ambientais, sociais, econômicos, endógenos… A pessoa pode estar precisando de ajuda de um profissional de saúde. É mais complexo do que ‘a pessoa se matou porque terminou com a namorada’, ou ‘se matou porque ficou desempregado’, por exemplo”.

 

O trabalho do CVV, mais do que ajudar alguém em um momento de crise, é mostrar que há outras possibilidades além do suicídio. “Na vida, a gente toma decisões, às vezes certas e às vezes erradas, mas podemos voltar atrás. Com o suicídio, não dá para voltar, e é isso que tentamos mostrar”, finaliza o porta-voz.

Abrata

Em Santos, outro local que oferece apoio é a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata). O núcleo é destinado a maiores de 18 anos que passam por transtornos como bipolaridade e depressão. No Setembro Amarelo, portanto, também cresce a procura por este tipo de apoio.

 

O porta-voz da associação, Ricardo Esteves, diz que o apoio de familiares em momentos difíceis é incentivado. “A partir da participação, começa a ocorrer uma coisa que chamamos de ‘entendimento mútuo’. O ambiente passa a ser outro, porque a família e os amigos, muitas vezes, adoecem junto com o portador, por não conseguirem evolução no tratamento. Assim, compartilhar vivências pode ser terapêutico”.

 

Universidades entram na causa

Além de instituições voltadas exclusivamente ao apoio psicológico e prevenção ao suicídio, universidades da região também estão engajadas no Setembro Amarelo. Algumas oferecem terapia gratuita durante todo o ano, relatando maior procura durante este mês.

 

A UniSantos oferece apoio aos estudantes com atividades voltadas ao tema do mês, inclusive em parceria com o CVV. A Clínica de Psicologia ligada ao curso oferecido pela faculdade oferece atendimento a partir do pagamento de uma taxa simbólica. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 21h, e aos sábados, das 8h às 16h. O endereço é Rua Dagoberto Gasgon, 8, bairro Boqueirão. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3205-5518.

 

A São Judas – Unimonte oferece, neste mês, uma programação especial com palestras e atividades relacionadas à prevenção ao suicídio. Além disso, alunos orientados por professores do curso de Psicologia também realizam, a partir do ano que vem, atendimento gratuito na clínica da universidade.

 

A Unip, que também oferece curso de Psicologia, realiza atividades temáticas no Setembro Amarelo, como palestras e oficinas durante todo o mês.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais