SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Exportações de café do Brasil atingem 3,2 milhões de sacas em agosto

Exportações de café do Brasil atingem 3,2 milhões de sacas em agosto


Fonte: Notícias Agrícolas (11 de setembro de 2019 )

O Brasil exportou 3,2 milhões de sacas de café em agosto deste ano – considerando a soma de café verde, solúvel e torrado & moído. O volume representa um decréscimo de 9,5% em relação a agosto de 2018, quando o país registrou uma safra maior do produto. A receita cambial gerada pelas exportações no mês passado, que chegou a US$ 398,4 milhões, também apresentou queda, de 19,2%. Já o preço médio da saca de café no mês, que foi de US$ 124,2/saca, registrou decréscimo de 10,8% em relação ao mesmo mês de 2018.

 

Em agosto, o café arábica correspondeu a 75,8% do volume total exportado, equivalente a 2,4 milhões de sacas. O café conilon (robusta) atingiu a participação de 14,4%, com o embarque de 462 mil sacas, enquanto que o solúvel representou 9,8% das exportações, com 314 mil sacas exportadas.

 

“O volume das exportações registrado em agosto foi bastante positivo e indica que fecharemos o ano civil com uma excelente performance. Importante destacar que os cinco principais países compradores apresentaram um aumento de 30% de volume importado no acumulado de janeiro a agosto, em relação ao mesmo período no ano passado. Isso significa que o café brasileiro vem ampliando seu espaço no exterior, recuperando o mercado e reforçando seu reconhecimento como café de alta qualidade e de produção totalmente focada na sustentabilidade”, declara Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé.

 

Ano civil

O total de café exportado no ano civil (janeiro a agosto de 2019) permanece sendo o maior dos últimos cinco anos para o período, com o embarque de 27 milhões de sacas. O volume representa um crescimento de 30,8% em relação a mesma base comparativa do ano passado e a receita cambial, neste caso, também apresentou crescimento, de 7,3%, atingindo US$ 3,4 bilhões.

 

Entre as variedades embarcadas no ano civil, o café robusta se destaca pelo aumento de 90,7% nas exportações, se comparado ao volume da variedade exportado de janeiro a agosto de 2018. O café arábica também obteve um crescimento relevante de 29% em relação ao período do ano anterior e apresentou o melhor resultado dos últimos 5 anos.

 

Válido destacar também que nos últimos 12 meses o Brasil exportou 42 milhões de sacas sinalizando recorde histórico de exportações de café para este ano.

 

Principais destinos

Os cinco principais destinos de café brasileiro, e que apresentaram um aumento de 30% de volume importado no ano civil (jan-ago), foram: Estados Unidos, que importaram 5,1 milhões de sacas de café (19% do total embarcado no período); Alemanha, com 4,4 milhões de sacas importadas (16,3%); Itália, com 2,5 milhões de sacas (9,1%); Japão, com 2 milhões de sacas (7%); e Bélgica, com 1,8 milhão de sacas (6,8%). Na sequência, estão: Turquia, com 804,3 mil sacas (3%); Federação Russa, com 703,5 mil sacas (2,6%); Reino Unido, com 676,1 mil sacas (2,5%); Espanha, com 599,5 mil sacas (2,2%); e Canadá, com 590 mil sacas (2,2%).

 

Todos os principais países consumidores de café brasileiro, exceto Reino Unido, registraram, no ano civil, aumento na importação do produto, comparando com o mesmo período do ano passado. Os destinos que registraram maior crescimento no consumo de café brasileiro foram a Espanha (crescimento de 46,3%); EUA (42%); e Alemanha (40%).

 

Diferenciados

No ano civil, o Brasil exportou 5 milhões de sacas de cafés diferenciados (que são os cafés que têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis). O volume foi responsável por 18,7% do volume total de café exportado de janeiro a agosto deste ano e representa um crescimento de 46,3% em relação ao volume de cafés diferenciados exportado no mesmo período de 2018.

 

A receita cambial gerada com a exportação de cafés diferenciados do Brasil foi de US$ 789 milhões, representando 23,4% do total gerado pelo Brasil com as exportações no ano civil de 2019.

 

Os principais destinos de cafés diferenciados foram: EUA, que importaram 1,2 milhão de sacas (24% do volume total embarcado no ano civil); Alemanha, com 642,2 mil sacas (12,7% de participação); Japão, com 617,3 mil sacas (12,2%); Bélgica, com 510 mil sacas (10,1%); Itália, com 445,1 mil sacas (8,8%); Canadá, com 203,1 mil sacas (4%); Suécia, com 143 mil sacas (2,8%); Reino Unido, com 141,3 mil sacas (2,8%); Espanha, com 108 mil sacas (2,1%); e Holanda, com 95 mil sacas (1,9%).

 

Portos

O Porto de Santos segue na liderança da maior parte das exportações no ano civil de 2019, com 77,2% do volume total exportado a partir dele (equivalente a 21 milhões de sacas). Em segundo lugar estão os portos do Rio de Janeiro, com 12,2% dos embarques (3,3 milhões de sacas).

 

Para mais informações, o relatório completo das exportações de café em julho de 2019 está disponível no site do Cecafé: http://www.cecafe.com.br/.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais