SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   DP World Callao, destaca-se com um aumento na movimentação de contêineres de 8,1% em junho

DP World Callao, destaca-se com um aumento na movimentação de contêineres de 8,1% em junho


Fonte: Mundo Marítimo (13 de agosto de 2019 )

De acordo com a Autoridade Portuária Nacional (APN) do Peru em junho de 2019, os terminais portuários de uso público mobilizaram 4.269.910 toneladas métricas durante o mês de junho de 2019, observando um aumento de 0,2%, em relação ao mesmo mês do ano de 2018, quando o número chegou a 4.259.996 toneladas.

 

Em relação ao tipo de carga, do total de toneladas transferidas registradas nos portos de uso público em junho de 2019, a participação foi liderada pelos contêineres (51,2%), seguida pelos granéis sólidos (35,6%) , carga fracionária (7,4%), granel líquido (5,1%) e carga rolante (0,7%).

 

No caso da TISUR, sua movimentação de granéis líquidos diminuiu 58,6% e sua movimentação de carga fracionada aumentou 55,7%.

 

Mobilização de contêineres

Durante junho, a mobilização de contêineres no Peru foi reduzida em 0,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos terminais portuários de Callao e Paita, foram mobilizados 190.034 e 19.913 TEUs, respectivamente.

 

Entre os portos, a maior participação foi registrada no Terminal Sul – DP World Callao (56,3%), seguido pelo Terminal Norte – APM Terminals Callao (32,7%) e TP Paita – Terminais Portuários Euroandinos (9,3%). ).

 

A DP World Callao aumentou sua mobilização de contêineres em 8,1% (de 111.264 para 120.272 TEUs). Por seu turno, os Terminais Portuários Euroandinos (TPE) diminuíram o seu movimento em 16,8% (de 23.923 para 19.913 TEUs), seguindo-se o APM Terminals Callao que diminuiu a sua movimentação em 8.1% (de 75.948 para 69.762 TEUs).

 

Uso de guindastes de pórtico

Do total de contêineres mobilizados que utilizavam guindastes de pórtico nos respectivos terminais, a TP Callao teve uma participação de 69,5%; enquanto a TP Paita, 99,1%, mostra uma participação maior no uso dessa infraestrutura, permitindo que as operações de carga e descarga sejam rápidas e eficientes.

 

A DP World Callao mobilizou 63,3% dos contêineres usando pórticos no Píer Sul, enquanto a APM Terminals Callao mobilizou 6,2% por meio dessas equipes.

 

Em relação à produtividade dos pórticos rolantes, no APM Terminals Callao manteve-se uma tendência crescente nos últimos meses, evidenciando em junho de 2019, um aumento de 30 para 31 contêineres / hora. Enquanto na DP World houve uma tendência decrescente, evidenciando no último mês 30 contêineres / hora.

 

Situação semelhante ocorreu no TPE em Paita, onde também houve uma tendência decrescente, evidenciando no último mês uma queda de 35 para 33 contêineres / hora.

 

Outros tipos de carga

Durante junho de 2019, houve um aumento de 31,9% na carga fracionária em relação ao mesmo mês do ano anterior. A maior variação positiva foi estabelecida na TP Paita – TPE, que aumentou sua movimentação em mais de 100% (de 1.539 para 19.032 MT), depois na TP Matarani – TISUR, que aumentou sua movimentação em 55,7% (de 31.158 para 48.510 TM) e posteriormente no APM Terminals Callao, que aumentou sua movimentação em 37,9% (de 14.121 para 194.550 MT).

 

Quanto aos granéis sólidos, a transferência de carga caiu 0,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior. A variação positiva foi refletida na TP Matarani – TISUR, que aumentou sua movimentação em 1,5% (de 490.013 para 497.201 MT).

 

Embora tenha havido uma variação negativa no APM Terminals Callao, que diminuiu sua movimentação em 13,1% (de 448.809 para 389.818 MT); e o TP Embarque de Minerales – TC registrou queda de 5,8% (de 310.958 para 292.983 TM).

 

Em relação ao granel líquido, este tipo de carga diminuiu 20,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Uma variação positiva pode ser observada na TP Logística Peruana Oriente (LPO), que aumentou sua movimentação em mais de 100% (de 3.836 para 12.119 MT).

 

Enquanto isso, uma variação negativa foi registrada na TP Matarani – TISUR, que diminuiu sua movimentação em 58,6% (de 30.797 para 12.758 TM), seguida pela TNM Callao – APMTC, que diminuiu sua movimentação em 26,5% (de 230,837 a 169,566 TM).

 

Atenção do navio

Além disso, a APN destacou que, durante o mês de junho de 2019, 1.565 navios chegaram aos portos do Peru e 1.608 navios desembarcaram em todo o país, observando um aumento na atenção de 15,1%, em comparação com o mesmo mês de ano anterior.

 

No setor fluvial, houve um aumento nos navios recebidos em 20,1%. Enquanto, no campo marítimo, foi observado um aumento de navios recebidos em 5,9%. Especificamente, no porto de Matarani houve um aumento de 19,5% na recepção de navios e o porto de Callao aumentou 4,8%. No caso do porto de Salaverry, a recepção de navios diminuiu 10,5%.

 

No que diz respeito ao maior influxo, também correspondeu à área do rio, incluída nos portos de Iquitos e Nauta com 365 e 243 navios mistos recebidos. Enquanto no campo marítimo os mais representativos são os portos de Callao com 308 navios e Matarani com 49.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais