SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Infraestrutura e Investimentos   /   Entrada de Santos terá estação de bombeamento de água para combater enchentes

Entrada de Santos terá estação de bombeamento de água para combater enchentes


Fonte: Prefeitura de Santos (17 de maio de 2019 )

A entrada de Santos ganhará uma estação de bombeamento de água, considerada uma das obras mais importantes para acabar com as enchentes na região.

 

A autorização para a obra será assinada pelo Governo do Estado no segundo semestre a fim de que a Ecovias, empresa responsável pelas obras, inicie as intervenções. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16) pelo prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, que esteve na sede da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), em São Paulo, onde se reuniu com representantes do órgão estadual, Câmara de Santos, Ecovias e Ministério Público para tratar sobre intervenções já pactuadas e previstas no conjunto de obras do Programa Nova Entrada de Santos, na parte que compete ao Governo do Estado.

 

“A Prefeitura está fazendo a sua parte e, com apoio do Governo do Estado e da União, será possível resolver um problema de décadas. As obras seguem em ritmo acelerado e estamos trabalhando para viabilizar as próximas etapas”, afirmou o prefeito.

 

A função principal da estação de bombeamento e do piscinão é permitir a captação das águas das chuvas e das marés dos bairros Vila Haddad, Chico de Paula e parte do Saboó, evitando alagamento nessa região. A estação e o piscinão serão construídos num terreno de propriedade do governo estadual, ao lado do Hipermercado Assai.

 

A Prefeitura também executará diversas outras obras de macrodrenagem na região das Avenidas Martins Fontes e Nossa Senhora de Fátima.

 

Novas unidades

Imediatamente após a assinatura autorizativa para a construção da estação de bombeamento, a Ecovias também deve iniciar a construção de uma escola e uma creche no bairro São Manoel. Essas obras são contrapartidas permitidas através de legislação municipal que prevê essas medidas quando há a realização de uma grande obra. As unidades de ensino devem ficar prontas em até 12 meses.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais