SOPESP NOTÍCIAS

Home   /   Mercado   /   Tokarski vai ao DNIT tratar da manutenção de terminais

Tokarski vai ao DNIT tratar da manutenção de terminais


Fonte: ANTAQ (14 de maio de 2019 )
O diretor Adalberto Tokarski, ao lado da diretora de Infraestrutura Aquaviária do DNIT, Karoline Brasileiro, durante a reunião no órgão. Fotos: CCS/ARI/ANTAQ.

O diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ, Adalberto Tokarski, reuniu-se nessa sexta-feira (11) com a diretora de Infraestrutura Aquaviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, Karoline Brasileiro, na sede daquele órgão, em Brasília. Em pauta, a manutenção dos terminais de passageiros da Amazônia e o estudo para licitar algumas Instalações Portuárias Públicas de Pequeno Porte (IP4), localizadas na Região.

 

A regulação e a fiscalização desses pequenos terminais especializados no transporte de passageiros são de competência da ANTAQ, cabendo ao DNIT sua construção e manutenção. Hoje, 44 Instalações Portuárias Públicas de Pequeno Porte, conhecidas como IP4, estão registradas na ANTAQ, e praticamente todas situadas na Região Norte do país.

 

O diretor Tokarski enfatizou a necessidade de uma ação mais efetiva de manutenção dos terminais de passageiros por parte do DNIT, ressaltando que o Sindicato dos Armadores do Amazonas (Sindarma/Fenavega) e parlamentares da Região vêm cobrando a Agência sobre a forma precária como essa manutenção vem sendo feita e pedindo melhorias nos terminais. A diretora do DNIT afirmou que estão sendo providenciadas melhorias na manutenção dos terminais.

 

Para o diretor da ANTAQ, uma das saídas seria licitar os IP4 mais estruturados, desonerando o DNIT de encargos financeiros com a administração dos terminais, gerando assim um superávit para o órgão investir nas demais instalações. Segundo Tokarski, entre as IP4 que poderiam ser licitadas, estão as de Tabatinga, Parintins e mais duas em Itacoatiara, todas no Estado do Amazonas, e a Cai N’água, localizada em Porto Velho, em Rondônia.

 

O diretor da ANTAQ e a diretora do DNIT concordaram em trocar informações e a conversar sobre o tema, envolvendo também o Ministério da Infraestrutura. Atualmente, as IP4 são registradas pela ANTAQ. Para serem licitadas, será necessário o estabelecimento de um modelo específico de concessão.

 

Participaram ainda da reunião no DNIT, o coordenador-geral de Obras Aquaviárias do órgão, Rodrigo Português, e a assessora técnica Taíza Reis, e pela ANTAQ, o superintendente de Desempenho, Desenvolvimento e Sustentabilidade, José Renato Fialho, o gerente de Outorga da Navegação, Eduardo Queiroz, e o especialista em Regulação de Transportes Aquaviários, Arthur Yamamoto.


Mais lidas


No dia 11 de junho, Data Magna da Marinha, a Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC) publicou, em seu portal da Organização das Nações Unidas (ONU) na internet, recomendação na qual legitimou ao Brasil incorporar 170.000 km2 de área de Plataforma Continental, além da Zona Econômica Exclusiva.   O processo de estabelecimento do limite exterior […]

Leia Mais